Bullying: sempre fui sua - Penelope Douglas | Resenha


Best-seller do The New York Times e do USA Today Primeiro volume da série “Fall Away”, Sempre fui sua narra a história de Tatum Brandt e Jared Trent. Os dois cresceram juntos e se davam muito bem na infância, mas na adolescência essa relação é transformada em um ódio mortal. Jared não perde uma oportunidade de humilhar sua ex-amiga que, pouco a pouco, começa a nutrir um desejo de vingança por ele. Amor ou ódio? Qual será o real sentimento entre os dois? Será que Tate vai perdoar Jared e dar uma chance de reconhecer o seu verdadeiro amor? Será que, na verdade, ela sempre foi dele?
Diferente de Birthday Girl e Punk 57 onde temos romances mais adultos e uma narrativa mais intensa, Bullying é um livro mais 'tranquilo' e fácil de absorver, porém a obra tem suas falhas. 

Aqui conhecemos Tatum Brandt e Jared Trent, que um dia já foram amigos. Antes de Jared ficar um verão inteiro na casa de seu pai e voltar completamente diferente do que era. Desde então Jared tem atormentado a vida de Tate como se não tivesse coisa melhor para fazer. As constantes humilhações e episódios de bullying são um tormento para a garota. Mas isso está prestes a mudar. Tate irá ficar um ano estudando na França, e longe das garras do ex-melhor amigo.

Quando ela volta para aproveitar o último ano do ensino médio, todos acreditam que o tormento de Tate irá continuar. Mas estão completamente errados. Agora a garota está muito mais segura de si e promete rebater todas as implicâncias que resolverem fazer com ela. Mas será que reencontrar Jared não acenderá antigas feridas?
Ser vulnerável nem sempre é uma fraqueza. Às vezes, deixar a outra pessoa se abrir pode ser uma decisão consciente. 
Apesar do tema do livro, não acho que ele foi pesado. Na verdade, Bullying é como qualquer outro livro adolescente que mostra de maneira crua o ensino médio. Ele tem partes leves, mas também tem tensão presente em suas páginas, e mesmo não gostando das atitudes de Jared, eu adorava o embate entre ele e Tate. Se tem uma coisa que é notável foi o crescimento da personagem e sua força interior, que ás vezes até choca por ir longe demais, mas que não a impedia de se defender. E isso já me cativou porque eu detesto personagens apáticas e que não se impõe, então esse desenvolvimento de Tate foi ótimo para a trama como um todo.
Jared é uma constante surpresa. O livro todo é narrado por Tate então só o enxergamos como ela o enxerga, e não gostamos do que vemos. Mas ao mesmo tempo conseguimos vislumbrar humanidade e gentileza, mesmo que esteja escondida muito profundamente dentro dele. O grande quê do livro é descobrir porque diabos o garoto a trata tão mal e isso vai se transformar em algo mais do que apenas implicância. O motivo dele é ridículo, já deixo claro. Nada justifica suas ações e a forma como ele age com Tate, mas como a própria personagem diz: todos cometemos erros e fazemos coisas das quais não nos agradamos. Então mesmo que eu tenha achado que ele foi um otário, não consegui não gostar dele.

É um livro que mescla bastante ódio e amor. Tate e Jared não conseguem só se gostar, existe a implicância, o rancor, a saudade da amizade do passado. Algo que molda os personagens e fazem eles serem tão especiais, mesmo que demore muito para assumirem isso.
Às vezes, o melhor remédio é ser vulnerável, botar tudo pra fora e fazê-lo ver como ele tem te machucado.
Não podia mais fazer isso. Não tinha como viver desse jeito. Era tudo um jogo para ele, mas meu coração não aguentava mais continuar jogando. Não sou forte. Não sou uma valentona. Não sou feliz. 
Os personagens secundários são muito presentes e marcantes, principalmente Madoc, o protagonista do segundo livro, que me pareceu bem idiota (mas acredito que ele mostrará um outro viés em sua história) e a melhor amiga de Tate, T. J., que me irritou um pouco mas que eu gostei também. Queria ter visto mais da relação dela com o pai, mas infelizmente a autora não investiu no personagem. 

A escrita da Penelope continua impecável. Eu adorei cada segundo da obra mas ainda acho que os livros anteriores que li são melhores do que esse. Mesmo assim quero ler os demais da série. Super recomendo!

Fall Away #1 | 368 páginas | Editora Universo dos Livros | Nota: 4/5


Comentários

  1. Fiquei lendo a resenha e olhando meu exemplar ali na estante..rs Quando comprei ele, nem li sinopse e nada, estava numa feira de livros aqui onde moro, gostei do título e capa e? Comprei. Acabei lendo estes dias e gostei demais do enredo! Não vi nada pesado não, apesar de que muitos momentos me deixaram desconfortável.
    O típico casal que se odeia, mas que já se amou..e que lá no fundo, tem um amor muito forte ali.
    Super recomendo!!!!
    Beijo

    Angela Cunha Gabriel/Rubro Rosa/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  2. Olá, Miriã.
    Depois que li Punk 57 por recomendação sua, agora quero ler todos os livros da autora. Mas quando li as sinopses dos outros que tem em português achei meio pesados. Bom saber que não é.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Olá!!
    Faz muito tempo que li o livro, mas as atitudes dos dois me incomodaram muito... acho que isso fez eu gostar menos do livro. Confesso que gostei mais de "Rival", espero que leia ele em breve :D.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
  4. Eu acho esse lance de ex-melhores amigos muito engraçado, mas é uma fórmula que costuma funcionar se for bem desenvolvida, né?
    Gostei dessa guinada que ela deu na vida, de parar de aceitar os confrontos sem rebater. Sei que a gente se chateia, mas não podemos deixar que pisem na gente, pelo amor de Deus. Também achei bacana o livro ser só pelo ponto de vista dela, hoje é em dia é tão comum termos os dois pontos de vista que já acho diferente quando rola o contrário. rs

    Tem muito personagem que faz isso com a gente mesmo. Toma umas atitudes descabidas por motivos ridículos, mas ainda assim a gente cria um laço. Nossa, esses livros dessa autora são realmente sua cara hahahahahaha.

    Beijooooos.
    http://www.roendolivros.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Particularmente não é uma leitura que me agradaria, mas realmente adolescente no ensino médio é o cão!!!
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  6. MiRIÃ!
    Confesso que não ando lendo muitos livros YA, porque ando enjoada das atitudes adolescentes, ainda mais envolvendo bullying.
    O fato da protagonista ter amadurecido e aprendido a lidar com a situação, ajuda um pouco, porém o fato dele a maltratar e ainda por um motivo fútil, sei lá, acho que não empolga muito para ler.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  7. Oi Mi, eu li esse livro há muitos anos e tive a mesma sensação que você. O protagonista é muito difícil de aguentar, a protagonista é tonta às vezes, minha nossa... rs Mas a autora escreve tão bem que fui até o fim rsrsrs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  8. Que blog mais aconchegante!
    Sobre o ensino médio ser algo cruel, faço de suas palavras as minhas!
    E confesso que não conhecia essa escritora, e olha que tenho 17 anos hahaha! Não gosto muito de livros adolescentes, embora leia alguns as vezes, no entanto, prefiro assistir esses clichés na Netflix, e este, daria um bom filme! E a narração diz tanto sobre um livro né? As vezes acho que os escritores pecam ao tornar a narração tão pessoal e limitante, tenho a impressão que isso aconteceu com este livro.
    Adorei o blogger, sério meeesmo, e tua escrita é tão esclarecedora.
    Tentarei visitar mais vezes ( correria do terceirão do ensino médio não está sendo fácil pra ninguém :/ )

    www.bloganyduarte.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi, Mi!

    Olha.. faz muito tempo que li esse livro e até hoje não postei no blog a resenha, porque honestamente a minha opinião a respeito da obra mudou bastante de tempos pra cá. Na época que li, gostei e me envolvi, mas hoje, acho tão péssima a forma que ele a trata, e a justificativa pra isso também - que aliás, não deveriam haver justificativas válidas para passar a tratar mal a pessoa de um dia pro outro, e fazer bullying tão grandiosos como ele fazia com ela. Antes era comum romantizarmos relações de amor e ódio nos livros, mas hoje em dia já não concordo muito, nada como um romance verdadeiro e leve. Gostei de saber a sua opinião sobre a obra!! Ficou ótima a resenha!

    xx Carol
    https://caverna-literaria.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Essa relação é bem complexa, principalmente envolvendo bullying. Tendo em base sobre o que você falou do motivo do Jared fazer bullying com a Tate por um motivo idiota, confesso que leria já o odiando haha Além disso, é difícil nessa situação ver um personagem se redimir, porque isso vai além de pedir desculpas e perdoar. Adorei a indicação!

    ResponderExcluir
  11. Eu tenho um pé atrás com livros de relacionamentos abusivos que se tornam amor ou comportamentos agressivos que são um tipo de "armadura" do verdadeiro sentimento, porque nada justifica violência. Mas pelos pontos que você levantou da narrativa, acho que pode valer a pena dar uma chance e entender melhor o contexto da história.
    Ótima resenha, Miriã ♥

    Beijos
    http://www.leiapop.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá,
    Fiquei na dúvida se dou uma chance pro livro ou não. KKKKK
    Não sei se curto muito isso de ele se "frustrar" com algo e tratar ela mal, e depois ele muda e eles vivem um amor incrível. Acho que já to um pouco saturada disso, mas como está disponível no Kindle Unlimited, talvez eu dê uma chance.

    Beijos;

    ResponderExcluir
  13. Eu sempre tenho por mim que ninguém sai ileso do ensino médio, e esses livros só vem para mostrar isso hehehe. Tirando a brincadeira, legal saber que a leitura não é pesada apesar do tema. Ótima indicação.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  14. Olá Miriã!
    Abordar o bulliying nunca deixa de ser atual, e a autora parece conduzir esse tema por um viés realista e que realmente no faz refletir.
    Essa revelação acerca do motivo de Jared maltratar Tate mostra claramente que NUNCA há justificativa para humilhar uma pessoa de forma constante, sem contar que é totalmente imaturo.
    Gosto dessa evolução de Tate, que ergue a cabeça e nos inspira a não ceder diante de valentões.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. ingriD Figueiredo8.5.20

    Vdd, a leitura super flui, tanto que li de uma noite para a outra. O desenvolvimento é muito bom e o enredo te prende. A personagem foi muito bem construída, e na minha opinião foi o que salvou o livro (e as músicas, claro!). Consegui gostei das tiradas de Tate, das construções das falas, enfim tudo muito bom... Exceto pelo 'mocinho' e o romance deles.
    Gente, esse romance não me pegou de jeito nenhum. Não consegui desvincular todas as maldades que ele fez com ela, e principalmente não achei a justificativa suficiente. Resumindo, não colou. Fiquei até com a sensação de ser aquela síndrome de estocolmo, quando uma vítima passa a ter amor pelo agressor. Pesado isso, mas me senti assim.

    ResponderExcluir
  16. Bom saber que Penelope tem uma série mais voltada para o YA - gosto mais que New adult.
    Gostei muito dessa premissa, desse casal com toda essa implicância.
    Preciso ler!

    Beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá! Definitivamente não é uma leitura que eu faria hoje em dia, na verdade já li tanta coisa relacionada ao tema que me sinto um tanto quanto saturada ao me deparar com mais uma história, sei lá, parece sempre mais do mesmo, em contrapartida em se tratando da autora, sempre fica aquela curiosidade em como ela vai abordar isso, pelo menos deu para perceber que ela pegou leve neh! Quem sabe no futuro eu não volte a me empolgar com a leitura.

    ResponderExcluir
  18. Olá Mii!
    Não conhecia o livro, mas fiquei interessada por ele. Tem uma boa premissa e mesmo que trata sobre o bullying parece ser uma boa leitura. Também gostei de como a personagem se desenvolve e aprende a se defender, gosto de personagens mulheres assim.

    Meu blog:
    Tempos Literários

    ResponderExcluir
  19. Achei a resenha interessante, mesmo evitando ler sobre bullying, pois é algo tão presente e ao mesmo tempo tão irritante com as atitudes, que evito. Mas fiquei curiosa para saber o que acontece com os personagens, talvez eu leia futuramente.

    ResponderExcluir
  20. Oi!
    Não gostei muito da temática que já fica escancarada no título do livro. Acho que é um tema que precisamos lidar com muito cuidado.

    ResponderExcluir
  21. Oii,
    O Jared parece ser chato, mas também muito humano e real. Que aprenderá e terá sua redenção.
    A Tate parece ser incrível. Que sabe se impor e não aceita menos que merece.
    Bjs

    ResponderExcluir
  22. Confesso que lendo a resenha não gostei nadinha das atitudes do Jared e gostei bastante que a Tate começa a se impor e rebater as provocações dele. Mas mesmo assim quero conferir a história desses dois, mas principalmente para saber porque o Jared mudou tão de repente de atitude.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Não esqueça de deixar seu comentário, assim poderei saber se gostou ou não do post.
Aproveite e deixe seu link, para que eu possa retribuir sua visita! ❤

back to top